20/04/2012

OAB...

Costumava dizer que o documento que mais me deu trabalho pra tirar foi CDI (certificado de dispensa de incorporação) vulgo "reservista".
É, mas essa história eu ja contei. Quero mesmo é contar sobre a mais dificil de agora: A carteira da OAB.
Em 2009, cursando o ultimo ano da faculdade de direito na UFMS, pretendia prestar o Exame da OAB logo que pudesse. Entretanto, com minha irma casando um dia antes da prova, decidi que não valeria a pena.
Entao, decidi prestar a proxima, a 2010.1, que rolaria na epoca da Copa do Mundo, em 2010. Fiz um cursinho breve no LFG, e acabei reprovando com 42 acertos (minimo de 50). Fiquei bastante chateado. Mas de boa, assisti a copa, e fui pra luta de novo, prestar o 2010.2, dessa vez com um cursinho mais prolongado, no LFG também, passei na primeira fase com 57 acertos, uma alegria. Na segunda fase, optei por Direito Civil, porque é a area que tenho mais aptidão mesmo. Porém, acabei tirando apenas 4,75 na prova (mínimo de 6,0 pra passar) e reprovei. Com os recursos, minha nota subiu para 5,00 e eu fiquei fora. Foi um baque muito grande... Começando 2011, fui pra Caiobá/PR com meus pais e voltei sozinho pra Campo Grande pra prestar o exame 2011.1. Nesse, fiquei na primeira fase, com 48 acertos. Dai entao, ia fazer o exame seguinte, o IV, que foi adiado... a prova foi em julho, com algumas mudanças, como a diminuiçao pra 80 questoes (e consequente diminuiçao pra 40 acertos para passar). Acabei fazendo cursinho de novo, no LFG, mas fiz apenas 35 pontos.
Nessa epoca, algumas coisas foram fundamentais:
- minha familia me deu muito apoio para que eu superasse o que ja estava virando um fantasma;
- voltei para a Defensoria, onde era estagiario remunerado, para ser voluntario, onde estou até hoje;
- minha namorada, na epoca ainda não de forma oficial, também me deu um apoio ímpar.
Esses tres fatores ajudaram bastante. Depois, ainda em 2011, teve o Exame V, mas este eu nao prestei porque tive um concurso público cuja prova era no mesmo dia. Dai, com férias e janeiro na praia acertadas, a principio nao iria fazer o Exame VI, mas meus pais questionaram sobre eu fazer. Disse que se nao se importassem em pagar a inscriçao pra pouco estudo, eu faria. Meu pai aceitou e entao me inscrevi. Na primeira fase, passei com 42 acertos (41 antes dos recursos) e encararia novamente a segunda fase. Novamente Civil, mas dessa vez fiz cursinho no Damasio. Eis que entao, eu consegui passar. Ainda nao saiu o resultado definitivo, quem nao passou esta tentando com os recursos. Eu passei com 7,0. Fiquei muito feliz e aliviado com tudo isso.
E agora é esperar pra tirar minha carteira de Advogado