27/06/2012

Corinthians? a policia quer que sim

Apos algum tempo sem postar nada, venho azer uma breve postagem... a policia de Sao Paulo esta todinha torcendo pro Corinthians ganhar a Libertadores. Mesmo quem torce pra outros times nas corporações policiais, nao irá querer que o Corinthians perca. Mas por que eu digo isso? Simples... lembram de 2006, o que aconteceu após a eliminação em casa para o River Plate? Pois é, agora é contra o Boca Juniors, uma expectativa absurdamente maior e, principalmente, muito mais gente envolvida em torcer, pular, comemorar e etc... Serio mesmo, eu quero que o Corinthians perca, mas tenho pena dos policiais de SP...

20/04/2012

OAB...

Costumava dizer que o documento que mais me deu trabalho pra tirar foi CDI (certificado de dispensa de incorporação) vulgo "reservista".
É, mas essa história eu ja contei. Quero mesmo é contar sobre a mais dificil de agora: A carteira da OAB.
Em 2009, cursando o ultimo ano da faculdade de direito na UFMS, pretendia prestar o Exame da OAB logo que pudesse. Entretanto, com minha irma casando um dia antes da prova, decidi que não valeria a pena.
Entao, decidi prestar a proxima, a 2010.1, que rolaria na epoca da Copa do Mundo, em 2010. Fiz um cursinho breve no LFG, e acabei reprovando com 42 acertos (minimo de 50). Fiquei bastante chateado. Mas de boa, assisti a copa, e fui pra luta de novo, prestar o 2010.2, dessa vez com um cursinho mais prolongado, no LFG também, passei na primeira fase com 57 acertos, uma alegria. Na segunda fase, optei por Direito Civil, porque é a area que tenho mais aptidão mesmo. Porém, acabei tirando apenas 4,75 na prova (mínimo de 6,0 pra passar) e reprovei. Com os recursos, minha nota subiu para 5,00 e eu fiquei fora. Foi um baque muito grande... Começando 2011, fui pra Caiobá/PR com meus pais e voltei sozinho pra Campo Grande pra prestar o exame 2011.1. Nesse, fiquei na primeira fase, com 48 acertos. Dai entao, ia fazer o exame seguinte, o IV, que foi adiado... a prova foi em julho, com algumas mudanças, como a diminuiçao pra 80 questoes (e consequente diminuiçao pra 40 acertos para passar). Acabei fazendo cursinho de novo, no LFG, mas fiz apenas 35 pontos.
Nessa epoca, algumas coisas foram fundamentais:
- minha familia me deu muito apoio para que eu superasse o que ja estava virando um fantasma;
- voltei para a Defensoria, onde era estagiario remunerado, para ser voluntario, onde estou até hoje;
- minha namorada, na epoca ainda não de forma oficial, também me deu um apoio ímpar.
Esses tres fatores ajudaram bastante. Depois, ainda em 2011, teve o Exame V, mas este eu nao prestei porque tive um concurso público cuja prova era no mesmo dia. Dai, com férias e janeiro na praia acertadas, a principio nao iria fazer o Exame VI, mas meus pais questionaram sobre eu fazer. Disse que se nao se importassem em pagar a inscriçao pra pouco estudo, eu faria. Meu pai aceitou e entao me inscrevi. Na primeira fase, passei com 42 acertos (41 antes dos recursos) e encararia novamente a segunda fase. Novamente Civil, mas dessa vez fiz cursinho no Damasio. Eis que entao, eu consegui passar. Ainda nao saiu o resultado definitivo, quem nao passou esta tentando com os recursos. Eu passei com 7,0. Fiquei muito feliz e aliviado com tudo isso.
E agora é esperar pra tirar minha carteira de Advogado

30/01/2012

pedagios e sua ganhação de dinheiro

Quem ja viajou em estados como Sao Paulo, Paraná e Rio Grande do Sul ja deve ter tido que pagar pedagio. Exceção legal à regra do direito de ir e vir, os pedagios sao a terceirização das rodovias estaduais, onde o governo passa a responsabilidade de cuidar e manter a malha rodoviaria para uma empresa, que se remunera dos pedagios pagos por que passa nela.
Ha quem goste desse modelo de privatização de rodovias, mas eu mesmo sou contra. Acho uma verdadeira ganhação de dinheiro.
Por exemplo, agora em janeiro viagei com a família para Caiobá/PR, entrando em Sao Paulo pela divisa Bataguassu/MS-Presidente Epitassio/SP e depois na divisa Ourinhos/SP Jacarezinho/PR. Um trecho repleto de pedagios. O problema é que os preços desses pedagios sao caros, em um intervalo de 40, 50 km, a viagem rende menos e as estradas, que deveriam estar um tapete, sao boas mas apresentam buracos, desniveis (estradas do MS, que nao é pedagiado, tem algumas que nao devem nada para as privadas de SP e PR).
No caminho, observamos uma faixa no pedagio que dizia "sem parar". Em Ourinhos, nos informamos que se trata de um cartao que a pessoa adquire, pagando uma mensalidade apenas para te-lo. E ai quando usar o pedagio, so passar ele em um sensor que marca para que o valor equivalente seja pago junto com a mensalidade. Ou seja, além de ja pagar no combustivel o imposto referente, o brasileiro agora paga mensalidade por um cartaozinho so pra poder circular nas rodovias. E isso nao da nem direito de nao pagar o pedagio, acabando na mesma que qualquer um que passe sem o tal cartão.
O pior oi o argumento da mulher que explicou sobre o cartao "a vantagem é que voce nao precisa parar, ai nao se expoe ao risco de ser assaltado"
Como é que é?
Entao alem de tudo, nao tem nem uma policia ou segurança que possa evitar a ação de bandidos? ENtao o brasileiro paga imposto, paga o pedagio e ainda tem que aderir a uma mensalidade pra evitar ser assaltado? Mas e isso não é função do governo e da concessionaria providenciar segurança?
Ao menos o governo federal nao caiu nessa besteira de privatizar rodovias. Pelo menos por enquanto. Por que serio, estradas do Mato Grosso do Sul, tirando alguns trechos, nao devem em nada para as estradas privatizadas paulistas e paranaenses. Chega de pedagio.