28/01/2011

nada na vida é perfeito...

Nessa semana, uma reportagem na TV Morena tratou da rua Joaquim Murtinho, que foi modificado no final de 2009 por causa da construção de um supermercado. Onde havia uma rotatoria, colocaram ruas que tem 3 semaforos em menos de 100 metros. Embora caotica, a rotatoria permitia conversoes para qualquer direçao, o que facilitava o fluxo de uma forma geral. Agora, uma serie de direçoes sao proibidas, o que tem criado problemas ao longo de 2010... eis que entao chamaram ao vivo o sr. Rudel Trindade, secretario de Transporte e Transito de Campo Grande, para comentar a situação da via.
A conclusao dele é que "nao deu certo". Entao, o reporter fez uma pergunta muito pertinente, que eu tambem me preocupava em saber: se nao haviam engenheiros que avaliavam essas situações antes de a obra ser feita.
A resposta?
"Claro que tem! Mas nada na vida é perfeito."
Ah claro... com coisa que entao, por essa razão, temos de achar normal gastos tolos e desnecessarios que pioram o transito?
Porque entao nao admitir o erro?
Minha resposta é uma parafrase do Cap. Nascimento:
O SENHOR É UM FANFARRÃO!

26/01/2011

teoria do brasileiro

A uns 10 anos atras eu estava voltando de onibus pra casa. Em Campo grande, voltando do Raul, indo para o bairro Sao Franscisco, na linha que corta a 14 de Julho. Nesse dia, em especial, vi um cara com uma camisa que na frente continha explicaçoes para quando o time ganhava e atras quando o time perdia. Nao fiquei "secando" mas consegui dar uma lida e lembro que, quando ganhava, era porque o time era bom, so exaltaçoes. Quando perdia, haviam mais de 10 desculpinhas diferentes.
Porque estou contando isso?
Porque tem muito a ver como o brasileiro, de uma forma geral pensa. Dois exemplos bem emblematicos sao a seleçao de futebol e os desastres naturais como esses do Rio de Janeiro, que vitimou mais de 700 pessoas.
A seleção nunca ficou fora de uma copa do mundo. É tambem a que mais ganhou. Mas nao ganhou, nem de longe, uma maioria esmagadora. Ainda assim, nós nos chamamos de "país do futebol". De fato, futebol é o que move o brasileiro. o problema é que achamos que é impossivel haver outros. Nasci em 1987, vi dois titulos, os de 1994 e 2002. Das outras copas que rolaram comigo fazendo parte desse mundo, temos que:
1990: agua batizada pro Branco. (Alemanha campea)
1998: seleçao vendeu o jogo pra França (França campea)
2006: seleçao so perdeu porque se preparou mal (Italia campea)
2010: seleçao era desunida e com jogadores errados (Espanha campea)
Ha um detalhe que talvez voce nao tenha visto: com exceçao da liga francesa, as demais ligas sao das mais fortes da Europa, sonho de qualquer jogador para jogar. Será que eles tambem nao sao "países do futebol"? Porque é tao dificil para nós brasileiros admitirmos isso?
Quanto as catastrofes, há um ponto de vista parecido, mas com outras consequencias:
Como chegamos a isso?
Desde que os alertas para o aquecimento global começaram a ganhar força, toda e qualquer catastrofe natural é atribuida a isso. E nós, brasileiros, adoramos falar nela. Coisas como "nunca choveu tanto assim" é escutada em qualquer cidade do país. Mas isso nao é bem assim. E isso, voce pode perceber sozinho.
Por exemplo, quando voce ouvir no noticiario "é a maior chuva em 70 anos", faça o seguinte esforço de raciocinio: "70 anos atras, entao 1941... mas é de 1940 pra antes?" Simples, se pudesse, o noticiario falaria em 80, 90 anos. Se nao o falam, é porque, no exemplo dito, em 1940 deve ter caido uma chuva muito pior. A questao é que, com muito menos gente e menos concreto no chao, tinha menos gente pra morrer afogada, menos estrada pra desabar, etc.
Voce deve estar se pergnuntando: "mas e o que essa conversa toda tem a ver com os desastres do RJ?" Tem que chuvas como essas ja ocorreram antes, provavelmente uma muito mais forte, mas nao tinha essa ocupaçao humana toda. Boa parte dos locais que desmoronou nao deveria ser habitada. E onde caiu terra, nao pode NUNCA MAIS ter casa. Agora, quantos brasileiros pensam nisso? Quantas vezes cobramos isso do governo? Quantas vezes admitimos que, ao inves de aquecimento global, foi nossa incompetencia, de forma geral, enquanto governantes, moradores, fundadores de cidades e bairros, legisladores e etc falhamos e cometemos um equivoco?
Agora, quando aparece um estrangeiro falando que o Brasil nao tem planos de emergencia, muita gente acha ruim. Quase igual quando falam que nossa seleçao "ja nao é mais a melhor"...
Chega de por a culpa no juiz, chega de achar que entregaram, chega de achar que que a culpa é do aquecimento global... ela é nossa, tambem.

21/01/2011

Eu disse...

O que que eu falei sobre o Giuliano ano passado?
http://gfeldens.blogspot.com/2010/11/giuliano-nao-ficara-em-2011.html
e ate a historia dos mesmos que o vaiaram estarem agora chateados com sua saida...
e a indireta no Roth, "pesou o fato de eu querer jogar"... Pato foi pelo mesmo caminho, nao demora muito o Sorondo sai por ser subaproveitado
ai nao da...
Mas que eu disse, eu disse
uahuahauhauhau

20/01/2011

Atualização ortografica...

Nao é novidade pra ninguem a atualizaçao ortografica que envolve todos os países de lingua portuguesa.
E uma dessas mudanças é ja tardia inclusao de W, Y e K no alfabeto. Entretanto, com essa introdução, uma mudança que a meu ver deveria ser obvia sequer foi mencionada:
Nomes de paises em portugues. Nossos vizinhos, Paraguay e Uruguay, por ausencia de Y no alfabeto portugues, sao grafados "Paraguai" e Uruguai". Eles usam o Y, ou "i griega" no espanhol, ou seja, nao faz muito sentido grafarmos seus nomes de forma incorreta. Principalmente porque so serve pra dar confusao. Sites paraguaios sao ".py" e uruguaios ".uy".
Pode parecer besteira, mas nao é. Que brasileiro nao gostaria que grafassem nosso nome corretamente, BRASIL e nao BRAZIL.
Se queremos que mudem, tambem devemos mudar. Ou nao?

09/01/2011

Como uma noite fria

Embora pareça titulo de peominha, o que vou falar é sobre musica. Acho que todo mundo gosta de algum tipo de musica, embora por razoes distintas. Eu, por exemplo, dou pouco ou quase nenhum valor a mensagem de letra que uma musica pode passar, dou valor mesmo é a que, sendo por causa de uma melodia, um arranjozinho, um fundo de teclado ou mesmo o conjunto todo me toca e me agrada. Duas bandas me agradam e muito nesse quesito: Kraftwerk e Pink Floyd.
Em 1999, ainda antes de completar 12 anos e ainda quando morava em Pelotas, minha terra natal, meu tio, o tio Beto, levou suas 5 fitas no apartamento que eu morava. Naquela tarde, nao lembro bem porque ele foi la, mas era algo ja esperado. Ele botou as fitas la, mas como passava um especial do James Bond na TV eu nem dei muita importancia, mas depois eu comecei a escutar aquelas fitas e nunca mais deixei de gostar.
Muitos anos depois, ja em Campo Grande, o Gabriel, amigo da faculdade do Ricardo e hoje meu amigo tambem, emprestou um CD do Pink Floyd, o Animals, em 2003. O CD ficou la parado e acabou guardado no porta-luvas do carro, ate que, em 2005, entediado esperando meus pais num estacionamento de supermercado, resolvi escutar o tal CD. Dali, comecei a curtir muito a banda, e como o Kraftwerk, gosto ate hoje. Depois pela internet, baixei os outros albuns deles.
Discorri sobre as duas bandas porque cada uma delas tem 1 musica que, nao sei exatamente porque, me dao a sensaçao de estar em uma noite fria: Time, de 1973, do Pink Floyd e Computer World, de 1981, do Kraftwerk.
É algo engraçado, principalmente se escuto elas no fone de ouvido, me da a impressao de ser de noite e frio. É por isso que eu gosto muito dessas bandas. Suas musicas sao capazes de fazer a gente sair dos problemas, ate porque nao da realidade ehhehe.

07/01/2011

Felipe Melo

Correram noticias no mundo todo sobre o chute que o Felipe Melo deu em um jogador adversario, pelo campeonato italiano. Apareceu na TV, em sites de internte, videos or tudo quanto é lado.
O fato de ele ter sido expulso num jogo de Copa do Mundo ajudou, e muito, a aumentar a fama de coicero desmiolado, que por pouco mais que nada, senta o pé no adversario.
Vendo o lance, vi que, embora nao justifique, Felipe Melo leva uma solada que vai da perna ate o abdomen, e mete o pe no adversario que fez isso. O ideal seria ele ter tentado cavar uma expulsao pro adversario.
O problema que me chamou a atençao, entretanto, é que na imprensa brasileira nao houve um cuidado em saber o que o jogador falou a respeito, se esta arrependido, se tentou justificar, se disse "bati mesmo e dai?". Nada, nao ha sequer uma mençao de que ele nao quis comentar o caso.
É uma pena, porque afinal, qual o papel da imprensa?
Informar, certo?
Mas e onde é que fica a ética e a dialetica numa hora dessas?
É mais legal escrachar o cara, de certo.
É mais facil aproveitar e culpa-lo ainda mais pelo fracasso do que admitir que na Copa haviam times melhores, de certo.
E o pior é que muita gente nao vai achar nada demais isso.
Quem se importa com o que esse desmiolado pensa, nao é mesmo?

06/01/2011

2011

O novo ano esta ai. Eu devo dizer que, por enquanto, nao sei o que esperar dele. Na vida pessoal, sempre acontecem coisas e situações boas, mesmo em anos muito ruins, entao nao é disso que eu falo.
Me pergunto sobre o novo governo, sobre os desdobramentos dessas crises no mundo, sobre se o Inter ganha o tri e luta no mundial de novo...
façam suas apostas, o que rola em 2011?